Archive for the ‘ WPF ’ Category

WPP 2008- Grande Prémio no Vale da Morte

um-homem-no-fim-da-linha.jpg

“Esta imagem mostra um homem exausto. E uma nação exausta”.

Foi assim que o júri classificou esta fotografia do fotógrafo britânico Tim Hetherington, que lhe valeu o primeiro prémio World Press Photo 2008.
O trabalho, para a Vanity Fair, no Afeganistão, mostra este soldado norte-americano num bunker em Korengal.

Gary Knight, presidente do júri, diz que se trata de uma imagem de “um homem no fim da linha”. “Estamos todos ligados a esta imagem.” Foto: Tim Hetherington

fonte: Público

A foto premiada foi publicada na edição de Janeiro de 2008 da Vanity Fair no artigo Into the Valley of Death, que inclui um slideshow com a foto-reportagem. O fotógrafo Tim Hetherington e Sebastian Junger, que captou este vídeo, falam sobre o que encontraram no Afeganistão.

Advertisements

impressões da World Press Photo

Per-Anders Pettersson, Suécia – Getty Images, para a Stern

3º Prémio, “Assuntos Actuais” (fotografia singular)

Esther Yandakwa ( 9 anos de idade ) fuma um cigarro enquanto as suas amigas a ajudam a pentear-se, no centro de Kinshasa, na República Democrática do Congo.
Esther não tem casa e prostitui-se.
Dezenas de milhar de pequenos refugiados, órfãos de guerra e crianças abandonadas pelas suas famílias vivem nas ruas de Kinshasa e outras áreas urbanas do país.

Jan Grarup, Dinamarca – Politiken/Newsweek


2º Prémio, “Notícias em Geral” (fotografia singular)

Em Novembro de 2006, deslocados aguardam que lhes sejam distribuidos alimentos, perto da aldeia de Habile, no Chade. Ataques por parte da Janjaweed, uma milícia árabe supostamente apoiada pelo governo sudanês, alastraram desde Darfur, no Sudão, atravessando a fronteira até ao Chade. Cavaleiros da Janjaweed incendiaram as aldeias de agricultores negros em ambos os lados da fronteira, matando e violando os seus habitantes, segundo um modelo de violência étnica que têm seguido desde 2003.

Na conflituosa região africana dos Grandes Lagos, onde os cuidados de saúde em geral enfrentam grandes desafios, os recursos psiquiátricos são particularmente raros. Os traumatizados pela guerra têm de partilhar uma mão-cheia de hospitais psiquiátricos com várias outras vítimas de problemas mentais.
O hospital psiquiátrico de Kamenge em Bujumbura, no Burundi, é o único do país que trata pessoas com traumas de guerra. Recebe financiamento da Igreja, mas os pacientes têm de contribuir com dinheiro para medicamentos e comida.

1º Prémio, “Notícias em Destaque” (fotografia singular)

Um homem lava a fuligem do rosto no local da explosão de um oleoduto em Lagos, Nigéria.
Pelo menos 260 pessoas morreram após o oleoduto perfurado se ter incendiado. A perfuração tinha sido feita por ladrões para encher tanques de petróleo para revenda, e centenas de residentes na zona tinham ido ao local para apanhar em recipientes de plástico o combustível que se derramava.
Apesar de a Nigéria ser o oitavo exportador mundial de petróleo, a maioria da população vive em pobreza extrema.

Para que não esqueçamos

Isto de estar (mal) habituado a ter tudo à mão só porque se vive na capital do império…
Este ano, quem quiser ver a World Press Photo, tem até domingo para ir a Portimão. Hélàs!

A foto vencedora deste ano é do repórter fotográfico norte-americano Spencer Platt que, num artigo publicado na Visão da semana passada, nos deixa alguns tópicos para reflexão.

Qualquer boa foto deve contar uma história e ser universalmente compreendida pelas várias culturas. Platt chama a atenção para a dificuldade de – nos dias de hoje – as imagens fazerem as pessoas pensar; Não só pela facilidade com que hoje se faz um boneco, como também para a introdução do vídeo nos trabalhos de foto-reportagem.
E que devemos manter e alimentar a curiosidade pelo mundo.
Eu acrescentaria, a esperança na humanidade…

World Press Photo 06

Na Prisão de Maula em Lilongwe, Malawi, centenas de reclusos dormem amontoados no chão.
Estão tão apertados, que só se podem mexer quando um recluso designado para o efeito dá a ordem para se virarem todos ao mesmo tempo.

Faure Gnassingbe, filho do mais antigo ditador africano, Gnassingbe Eyadema, foi eleito presidente de Togo em Abril de 2005. Num autêntico golpe militar, o exército colocou-o no lugar do pai, após a morte deste em Fevereiro.
A oposição organizou um protesto minutos após a eleição e as ruas da capital Lome encheram-se de barricadas.
Os confrontos com as forças militares estão à vista.

A longa guerra-civil na Libéria e o tumulto político deram finalmente lugar a eleições em 2005 e a uma relativa estabilidade. Do conflito resultaram inválidos que representam cerca de 16% da população, entre os quais cerca de 77.000 cegos, consequência ou de sub-nutrição ou porque não foram tratados a tempo.

World Press Photo 2006 e Prémio Visão Fotojornalismo 2006, no Centro Cultural de Belém, até dia 22 de Outubro.

World Press Photo 06

Alassa Galisou, um bébé subnutrido, aperta os dedos contra os lábios do mãe, Fatou Ousseini, num Centro de alimentação de emergência para refugiados em Tahoua, no noroeste da Nigéria. Em 2004, uma das piores secas dos últimos tempos, associada a uma praga de gafanhotos destruiu as colheitas, deixou milhões de pessoas sem meios de subsistência.
As fortes chuvas prometeram boas colheitas para 2005, mas retardaram a chegada de auxílio. As Nações Unidas e o Ocidente foram acusados pela resposta tardia a esta
iminente crise humanitária . Apenas algumas semanas antes desta fotografia, tirada a 1 de Agosto de 2005, os líderes do G8 tinham decidido erradicar a pobreza em África, duplicando a ajuda até 2010.
Prémio World Press Photo 2005
Finbarr O’Reily (Canadá) – Agencia Reuters


Young Abu, de sete anos, abotoa a camisa do pai num abrigo para amputados, perto de Freetown, Serra Leoa.
Os braços de Abu Bakarr Kargbo foram cortados pelos rebeldes da Frente Unida Revolucionária, aquando do ataque à cidade em 1999.
Cerca de 50.000 pessoas foram mortas e milhares mutiladas na guerra civil entre o Governo e as forças rebeldes, entre 1991 e 2002.
Cortar mãos ou braços tornou-se a imagem de marca dos rebeldes, de modo a espalhar o terror entre os seus inimigos.
Em 2004 foi finalmente estabelecido um acordo de paz e constituido um tribunal de guerra.
Antigos combatentes de ambos os lados beneficiaram de programas de reintegração social, mas pouco foi feito pelos amputados.

Primeiro prémio de historias contemporâneas individuais – Yannis Kontos, Greece, Polaris Images

Mallam Galadima Ahamadu, que passeia a hiena Jamis nas ruas de Abuja, Nigéria, faz parte de um grupo que viaja pelo norte do país com três hienas, duas pitons e quatro macacos;
Trabalham como artistas e vendem ervas medicinais, muito procuradas.
As hienas – treinadas para atacar, o que atrai as multidões – são capturadas em estado selvagem e treinadas durante meses para interagir com os humanos e outros animais, sem os atacar.
Mallam e os seus companheiros alimentam as hienas com uma cabra em média cada três dias – o que ajuda a mantê-las calmas – e borrifa-as com água, pois estes animais não se dão bem com o calor excessivo.
Primeiro prémio de retratos individuais – Pieter Hugo, África do Sul, Corbis

Samar Hassan chora, segundos depois tropas dos EUA dispararem e matarem os seus pais, num incidente em Tal Afar, no norte do Iraque, em Janeiro de 2005.
Os soldados abriram fogo, depois do carro dirigido pelo pai de Samar não ter parado quando se aproximou da patrulha.
Na declaração do exército americano leu-se que as tropas tentaram parar o carro acenando com as mãos e efectuando tiros de advertência, antes de dispararem directamente para o carro, matando o motorista e o passageiro do banco da frente.
Cinco dos irmãos de Samar estavam no carro com ela: Os seis sobreviveram, embora o irmão Racan tivesse ficado gravemente ferido.
Os soldados de EUA prestaram os primeiros socorros às crianças antes de as levarem para o hospital mais próximo.
Segundo prémio na categoria foto-notícia – Chris-Hondros, USA, Getty-Images


Um urso polar come uma foca em cima de uma pequena ilha de gelo, perto do glaciar de Mónaco, na costa noroeste de Svalbard (Spitsbergen), Noruega.
Os ursos polares alimentam-se de focas
principalmente nos meses de verão, servindo-se dos pedaços de gelo que se separam das plataformas, para capturar as presas.
Sendo uma espécie potencialmente ameaçada, o urso-polar, protegido desde 1973 por fortes restrições à caça no Ártico, viu a sua população na região de Svalbard aumentar de 1000 para cerca de 3000.
Segundo prémio na categoria Natureza-singulares – Pål Hermansen, Noruega, para Orion Forlag-Getty Images.

World Press Photo 2006 e Prémio Visão Fotojornalismo 2006, no Centro Cultural de Belém, até dia 22 de Outubro.

World Press Photo 05

Como já havia referido aqui – embora o período da exposição tenha sido alterado -, decorre até 23 de Outubro no Centro Cultural de Belém a World Press Photo 05. A Galeria dos Vencedores pode ser visitada aqui.
O conjunto de imagens que se segue resulta naturalmente de uma escolha pessoal; ou porque a imagem me tocou, ou pelo contexto em que foi captada ou, ainda, pelas notas que tirei durante a visita.
Os textos originais que acompanham as fotos desempenham um papel significativo no enquadramento do trabalho destas pessoas no nosso quotidiano, bem como um espaço de reflexão. Como sempre.

Clique nas imagens para ampliar

Sports Features: 1st prize singlesAdam Pretty, Australia, Getty Images

Ian Thorpe of Australia starts from lane four and Pieter van den Hoogenband of the Netherlands from lane five, during the heats of the men’s 200m freestyle at the Olympic Games in Athens in August.
Both were tipped to win the event. Thorpe beat the Dutch swimmer by 0.10 seconds in the heat, and went on to beat him again in the final, breaking an Olympic record in the process.

Sports Features: 3rd prize storiesQiu Yan, People’s Republic of China, Wuhan Evening News.

Some 140 children, from four to ten years old and coming from all over China, study at the Li Xiaoshuang Gymnastics School in Xiantao, in central China’s Hubei province.
Chinese Olympic gold medallists Li Xiaoshuang, Yang Wei and Zheng Liwei all studied at this academy. Training is arduous, but China’s success in Olympics-level gymnastics has encouraged greater numbers of parents to send their offspring to this and similar sports schools.

Sports Features: 3rd prize singlesRenée Jones, USA, Star Tribune.

Jimmy Cates, 8, of Prior Lake, Minnesota, is placed fourth out of four competitors in his first wrestling tournament, at Prior Lake High School, in January.

Spot News: 1st prize storiesDean Sewell, Australia, Oculi/Agence Vu.

The Indonesian province of Aceh, on the western tip of Sumatra, was closest to the epicenter of the December 26 earthquake that unleashed massive tidal waves in the region, and bore the full brunt of the destruction. Over 70 percent of the inhabitants of some coastal villages in Aceh lost their lives as a result of the tsunami.
In Indonesia as a whole more than 110,000 people were killed, and over 800,000 made homeless. International aid organizations had long been denied access to Aceh because of ongoing conflict between Indonesian security forces and separatist rebels, but once the scale of the disaster became clear, the government relaxed restrictions.

Spot News: 2nd prize storiesYuri Kozyrev, Russia, Time Magazine.

On September 1 a group of Chechen militants occupied School Number One in the town of Beslan, in the neighboring Russian province of North Ossetia. They herded 1,221 teachers, parents and pupils into the school gymnasium, and set up bombs and booby traps to prevent any surprise attack, issuing a series of demands that included withdrawal of Russian troops from Chechnya and the release of prisoners.
After two days of negotiations, bombs inside the school were detonated, in circumstances that were unclear, killing many hostages instantly. Russian special forces stormed the building. School Number One was liberated, but 338 people were dead, more than half of them children.

Spot News: 3rd prize storiesGeert van Kesteren, The Netherlands, for Newsweek Magazine.

Conflict between insurgents and coalition forces in Iraq continued throughout the year. Opposition ranged from anti-American demonstrations, to guerilla activity and open confrontation.
The military responded with raids on homes thought to harbor insurgents, and full-scale attacks on dissident strongholds.

Contemporary Issues: 1st prize stories – Michael Wolf.

In recent years China has grown to become the world’s fifth largest exporter of merchandise, and has one of the world’s fastest growing economies.
A huge influx of migrant workers is required to meet demand in city factories.

People in the News: 3rd prize singlesShaul Schwarz, Israel, Corbis.

A mother stands beside her dead baby in a makeshift morgue at the hospital in Gonaïves, Haiti, in February. The hospital had been closed since rebels revolting against President Jean-Bertrand Aristide had taken control of the city early in the year.
The baby had been born shortly before fighting began, and had not received any hospital care. Unrest in Haiti had been growing ever since disputed election results in 2000, with Gonaïves as a particular flash point, and both sides blaming each other for the violence. Law and order broke down in many places, with looters ransacking stores, businesses, government buildings and hospitals.

Portraits: 1st prize storiesAdam Nadel, USA, Polaris Images.

Around two million people fled their homes, and at least 150,000 were thought to have died, as a result of violence that had affected the Darfur region of Sudan since early 2003.
Rebel groups such as the Sudan Liberation Army (SLA) and the Justice and Equality Movement (JEM) claimed that Sudan’s government was oppressing black Africans in favor of Arabs.
The government was accused of lending support to Arab militias such as the Janjaweed, which rebels said was conducting ethnic cleansing in the Dafur area.

Portraits: 1st prize singlesFrancesco Zizola, Italy.

Lilian, 23, was kidnapped from her village in Uganda by rebel fighters of the Lord’s Resistance Army (LRA) when she was 12 years old. The Ugandan government has been unable to end insurgency by the LRA in the region, and rebels have killed or kidnapped many thousands of people.
After a week-long march across the border into Sudan, Lilian was given as a bush-wife to a rebel commander, who raped her that night. She bore her first child, a son she named Oryema, when she was 14. Lilian stayed with the rebels for 11 years, and participated in fighting against the Sudan Liberation Army, which allegedly has the backing of the Ugandan government. When Oryema was nine, she escaped with him during an attack by the Ugandan army, and fled back across the border to a shelter for former girl soldiers.

Nature: 2nd prize storiesPatrick Brown, Australia, Panos Pictures.

Asian wildlife is being plundered and trafficked on an unprecedented scale. It is estimated that wildlife traders export 25,000 to 30,000 primates every year, along with millions of birds, reptiles and tropical fish.
The animals are kept as pets, and their body parts used for decoration, or for medicinal and magical purposes. Small-time local poachers are caught and jailed, but more powerful, organized traffickers often operate unhindered due to official corruption and inertia.

Nature: 2nd prize singlesPierre Holtz, France, Reuters.

Senegalese children run through a swarm of locusts in the capital, Dakar, on September 1. The locust invasion was the worst West Africa had seen for 15 years. By October, swarms reached as far afield as Crete, Cap Verde and Lebanon, devastating millions of hectares of crops. Adult locusts can consume their own weight in vegetation every day, stripping fields bare in seconds. Aid agencies said that the locusts had destroyed up to a third of the crop in African countries affected by the plague. The swarms were so large that usual methods of driving them off, such as banging steel pans and burning tires, were ineffective. Paradoxically, good rains in 2004, which led to healthy harvests, also created the ideal conditions for the locusts to breed faster.

Reminder

Como já havia feito referência, a World Press Photo começa hoje!

E porque hoje é sexta-feira*, três sugestões de leitura:

Noite Americana (via À Deriva), Inimigo Público e – já agora – Boião de “Cultura”.

* Desculpa roubar-te a ideia para o título. Posso pagar em género.. feminino?