Archive for July, 2004

A bela e pura

A bela e pura palavra Poesia

Tanto pelos caminhos se arrastou

Que alta noite a encontrei perdida

Num bordel onde um morto a assassinou.

Sophia de Mello Breyner Andresen, Mar novo (1958)

Darfur – Sudão: A esperança perdida!

  • O projecto de resolução relativo à situação em Darfur, no Sudão, que deverá ser hoje aprovado em Nova Iorque, foi suavizado para reunir o consenso dos 15 membros do Conselho de Segurança (CS) da ONU.

    Na sua quarta revisão em poucos dias, o texto deixou de referir explicitamente a palavra “sanções” contra o regime de Cartum.

    Estas continuam a estar previstas, mas torna-se assim mais difícil a sua aplicação.

    Se o Governo sudanês não controlar e desarmar as milícias árabes acusadas de limpeza étnica contra os negros de Darfur, o texto admite a possibilidade de a ONU recorrer ao artigo 41, da Carta das Nações Unidas, que prevê sanções económicas ou diplomáticas, mas exclui “o uso da força”.

    O secretário-geral da ONU, Kofi Annan, deverá supervisionar periodicamente o cumprimento dessas medidas por parte do Governo do Sudão.
  • (…)

  • A hipótese do envio de militares, fora da UA, foi levantada pelo Reino Unido, mas está por enquanto posta de lado.

    O destacamento de um contingente para proteger as vítimas das atrocidades cometidas pelas milícias necessita do aval do Governo de Cartum que, sob pressão, desafiou tal iniciativa, ao alertar para os riscos de uma desestabilização regional e de uma forte resistência a qualquer tido de intervenção, estabelecendo um paralelo com os resultados violentos da acção das forças da coligação no Iraque.
  • E as vítimas das atrocidades das milícias árabes continuam a ser dizimadas..

    Remember the Light in your Eyes

     

    There is a light in your eyes,

    Shining from the fire in your heart.

    Others have been lured by it,

    from their dreamless sleep,

    to rise and look upon your face,

    to be guided to the place of true existence.

    Can you see it?

    Remember your origin!

    From amongst the stars you were born.

    You are the willing vessel of the Gods,

    compassion poured upon the earth

    like rain that leaves the parched soil

    gasping with ecstasy.

    Close your eyes,

    and let your light shine inward.

    Do you remember now?

    How the laughter and tears

    brought you into this moment…

    How the pain was but a bridge

    to the realm of the infinite?

    Take a deep breath,and remember.

    Remember how we used to dance,

    in circles on the grass until we collapsed,

    giggling like children (I guess we were, then).

    I remember… I am reminded by the light in your eyes.

    O país está a arder? De Lisboa não se vê..!


    Le Petit Prince – Antoine de Saint-Exupery

    Chapitre XII

     

    La planète suivante était habitée par un buveur. Cette visite fut très courte, mais elle plongea le petit prince dans une grande mélancolie:

     

    -Que fais-tu là? dit-il au buveur, qu’il trouva installé en silence devant une collection de bouteilles vides et une collection de bouleilles pleines.

    -Je bois, répondit le buveur, d’un air lugubre.

    -Pourquoi bois-tu? lui demanda le petit prince.

    -Pour oublier, répondit le buveur.

    -Pour oublier quoi? s’enquit le petit prince qui déjà le paignait.

    -Pour oublier que j’ai honte, avoua le buveur en baissant la tête.

    -Honte de quoi? s’informa le petit prince qui désirait le secourir.

    -Honte de boire! acheva le buveur qui s’enferma définitivement dans le silence.

    Et le petit prince s’en fut, perplexe.

    Les grandes personnes sont décidément très très bizarres, se disait-il en lui-même durant le voyage.

    la villa, Estoril

    Jantares de negócios, uma chatice! 

    Actualização de links.